em principal

Eduardo e Mônica: criatividade ou plágio?

Nos últimos dias as mídias sociais foram inundadas com muito mais que links de namorados apaixonados. Foi lançada uma campanha pela Vivo revivendo a célebre música Eduardo & Mônica da Legião Urbana. Uma super produção responsável por homenagear e atualizar visualmente a criação cantada por Renato Russo.

Logo depois do sucesso de tweets, retweets e mensagens nos Facebook, surgiu o problema: o vídeo, certado de elogios para a Vivo já havia sido utilizado para um comercial… também da área de telefonia.

A ATL, operadora que se tornou hoje a Claro, chegou a usar a música para também homenagear os casais no campo das telecomunicações.

Nada se cria, tudo se copia?

Os responsáveis pela atual produção alegam que não sabiam da antiga montagem para a ATL e que a ideia foi totalmente original. Com tantas homenagens e com dez anos de diferença entre os trabalhos podemos alegar como plágio ou reconhecer que há mérito na forma como foi produzido?

Veja abaixo os vídeos e deixe suas opiniões nos comentários.

 

v

  • @thiagonit

    Existe aquela velha história de que a mesma ideia pode nascer ao mesmo tempo em lugares distintos por cabeças pensantes sem nenhum tipo de vínculo. Mas daí essa ideia estar inserida em um mesmo contexto – dia dos namorados e telefonia móvel – é muita coincidência pra pouca originalidade, rs. 
    O fato é que, seja qual for o objetivo de comunicação da Vivo, uma coisa eles estão conseguindo bem conseguido: estar entre os assuntos mais comentados da Web Brasil nos últimos dias. E isso é bom? Bom, depende do retorno da campanha e isso talvez nós jamais saberemos qual foi. 

  • Pingback: José Telmo()

  • Pingback: José Telmo()

  • Pingback: raquel duarte()

  • Pingback: Horácio Corujão()

  • Pingback: Simone Dias()

  • Acho que temos que levar em conta várias informações neste caso, como por exemplo o fato de estarem em segmentos semelhantes e utilizarem o mesmo objetivo, ligar celulares e namorados.

    Outra questão é aquela velha “polêmica proporcional”, ou seja, eles podem ter feito já com objetivo de causar esse Buzz. Porque sinceramente, o fato de terem plagiado ou não neste caso não é tão importante, pois não é totalmente copiado (talvez o conceito), mas a execução ficou ótima. Acho sinceramente que tenha sido apenas bom para Vivo, já para Africa (agência que produziu) não é tanto, porque eles perderam um pouco o “glamour” de ter feito uma grande campanha.

  • Pingback: Marco_2012()

  • Pingback: José Telmo()

  • Pingback: José Telmo()

  • Pingback: José Telmo()

  • Pingback: Fabrício Toth()

  • Anônimo

    Acho também que acusar de plágio seria demais, como se associar a música antiga a um contexto novo fosse o único ponto realmente original. Eles tiveram uma execução excelente, o vídeo foi muito bem produzido e divulgado, e esses foram os fatores fundamentais pra viralizar a campanha. Podia ser qualquer outra, desde que fosse algo do agrado de um grande público, como é a Legião Urbana.